SAIBA MAIS:

  •  PARA CONHECER MAIS SOBRE AS CAUSAS SOCIAIS: Navegue aqui nesta página abaixo pelos temas de seu interesse. ( ex: causa animal, idosos, pessoas em situação de rua, meio ambiente ,depressão, etc.)

  • PARA CONHECER OS GRUPOS,PESSOAS E AÇÕES SOCIAIS: Vá para a página dos grupos AQUI!

  • PARA AJUDAR: saiba como VOCÊ também pode ajudar clicando AQUI!

 

 

SOBRE TRABALHO VOLUNTÁRIO:

A palavra voluntário, de origem latina (voluntarius), significa "aquele que age por vontade própria. Sendo assim, entendemos como um indivíduo, que sem forças externas, dispõe-se a fazer algo. "

 Na nossa língua palavra pode ser usada de diferentes formas, mas refere-se mais diretamente as ações solidárias nas quais o sujeito nega o seu individualismo e se coloca à disposição de projetos para o bem coletivo. Utilizando-se deste conceito , a Organização das Nações Unidas caracteriza voluntário como “o jovem, adulto ou idoso que, devido a seu interesse pessoal e seu espírito cívico, dedica parte do seu tempo, sem remuneração, a diversas formas de atividades de bem estar social ou outros campos.”

 Segundo dados do IBGE, estima-se que 6,0 milhões de pessoas no Brasil realizaram algum tipo de trabalho voluntário no ano de 2019.(Importante ressaltar que este número apresenta uma queda, se comparado ao ano de 2018). Esse número pode ao primeiro instante parecer alto, porém segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), o percentual de trabalho voluntário no Brasil ainda é muito baixo, algo em torno de 4%.

 Em 2020, a pandemia da corona vírus trouxe uma nova realidade para o voluntariado: este precisou se adaptar à nova rotina, bem como atender as novas demandas que surgiram. Alguns trabalhos tiveram que ser pausados e outros passaram por adaptações para que pudessem continuar sendo executados.

 Em Natal, trabalhadores a serviço do próximo atuam em diferentes formas: seja em instituições físicas em pontos fixos e também em grupos criados com a finalidade de sair nas ruas com a missão de distribuir comida ou roupas, oferecer amor, palavras de conforto e esperança, atendimento médico, psicológico e odontológico; e até mesmo resgatando pessoas que tentam tirar a vida através do suicídio. Além dos atendimentos humanos, também existem grupos que se dedicam a ajudar na causa animal. São vários grupos, muitas ações e diferentes formas de ser empático. Conheça algumas delas:

SOBRE AS CAUSAS:

PESSOAS EM SITUAÇÃO DE RUA

 Esta é a denominação dada para pessoas que passam  as noites dormindo nas ruas ( em praças, marquises, viadutos e etc.) ou ainda em casas e carros abandonados, sem condições de higiene e conforto. A denominação ainda abrange as pessoas que vagam nas ruas em busca de alimento. Conforme pesquisas, constata-se que no nosso país é praticamente impossível quantificar o número exato de pessoas em situação de rua , uma vez que a maioria dos censos leva em conta o local de moradia das pessoas ,e além disso são dados que mudam quase que diariamente, em cada cidade.

 Em meados de 2008 foi realizado a Pesquisa Nacional sobre a População em Situação de Rua realizada pelo Ministério do Desenvolvimento Social (apesar de antiga , ainda é considerada uma das mais completas realizada até então) que apontou que o alcoolismo e uso de drogas, desemprego e conflitos familiares são as principais causas de levar as pessoas ás ruas. A pesquisa também aponta que o número maior é de homens, e ainda prevalece a faixa etária considerada jovem ( até 35 anos).

 Essas pessoas em sua grande parte não possuem emprego ( e os que possuem são ocupações informais e sem renda fixa, como catadores, flanelinhas e etc.) e dependem quase que exclusivamente de ajuda das politicas públicas e das pessoas que se dedicam as auxiliarem como podem.

Em nossa cidade existem diferentes grupos e instituições que atuam de forma voluntária buscando amenizar as lutas vivenciadas por essas pessoas, oferecendo auxilio na alimentação, cobertores, higiene pessoal, e apoio através de conversas, conforto e companhia. Sabemos que esse auxílio não é o suficiente, porém ajuda a amenizar o dia a dia destas pessoas. 

 

Se você se sensibiliza com a causa, procure um dos grupos e ajude da forma que você puder. A sua ajuda pode a princípio parecer pouca, mas é fundamental para muitos!

* Fontes:  Pesquisa Nacional sobre a População em Situação de Rua     www.politize.com.br , www.natal.rn.gov.br

ANIMAIS ABANDONADOS

 Abandonar ou maltratar animais é crime previsto pela Lei Federal nº 9.605/98. (importante ressaltar que uma nova legislação, a Lei Federal nº 14.064/20 sancionada em setembro de 2020 aumentou a pena de detenção que era de até um ano para até cinco anos para quem cometer este crime.

 Além disso, o rito processual passa à vara criminal, não mais ao juizado especial.) Ainda assim, a OMS estima que cerca de 30 milhões de cães e gatos estejam em situação de abandono no Brasil. Dados que inclusive cresceram nesta pandemia.

 A maioria desses animais sofre com maus tratos, doenças, fome, frio, sede e traumas que impactam por vezes de forma permanente no seu comportamento.

Muitos morrem devido ao abandono ou ficam com sequelas físicas e psicológicas. Além de tudo isso, a situação dos animais abandonados também afeta a população humana, pois os animais nas ruas estão mais sujeitos aos atropelamentos, podendo causar acidentes de trânsito e também afetam a saúde pública .

 O abandono de animais merece mais atenção do poder público e da comunidade. Os animais não podem pedir socorro por conta própria, ficando completamente vulneráveis e dependem de pessoas que se sensibilizem e tomem voz para os seus apelos, batalhando por direitos e por tentar lhes dar uma situação mais digna de vida.

 

 Em Natal existem diversos grupos de protetores que se empenham na causa animal, buscando colaborar com o resgate, socorro médico, alimentação, castração, e campanhas para estimular a adoção e o não-abandono.  Porém a demanda é muito grande e crescente, e as ajudas muitas vezes são esporádicas, faltando pessoas e condições para auxiliar esses animais de forma digna.

Se você se sente tocado pela causa, procure algum dos grupos ou abrigos na cidade e colabore  ajudando quem não pode pedir socorro.

 

*Fontes: agenciabrasil.ebc.com.br, OMS, uol.com.br

POLUIÇÃO DAS PRAIAS

Ao menos 28 milhões de pessoas no Brasil têm algum familiar que é dependente químico, de acordo com o Levantamento Nacional de Famílias dos Dependentes Químicos, feito pela Universidade Federal de São Paulo. (Unifesp) A dependência química é tida pela OMS como doença crônica que comumente atinge indivíduos que fazem o uso constante de determinadas drogas. As substancias usadas tendem a causar um desequilíbrio no metabolismo químico do organismo, levando a dependência química da droga.O portador desse tipo de distúrbio não consegue conter o vício,o que acaba por afetar a sua vida psíquica, emocional, física e consequentemente, a vida social. 

 

 Esta é uma questão que merece muita atenção,orientação e apoio tanto para o dependente quanto para a sua família, que muitas vezes adoece emocionalmente junto ao indivíduo. 

Além disto,é importante lembrar que esta questão  passa a ser também importante para a sociedade e seus governantes porque a dependência química impacta diretamente no índice de desemprego,de pessoas em situação de rua,na violência e até nas taxas de óbito.

 O caminho para a recuperação envolve grandes desafios. Observa-se que mesmo que a internet  hoje possibilite vastas informações sobre a dependência química e como ela acontece, o tema ainda é motivo de preconceito entre a população.É comum perceber que algumas pessoas tratam o tema com uma visão distorcida, onde associam o vício a uma má índole. Mas, o que poucos sabem é que o vício é uma doença que leva o indivíduo a ter um desvio comportamental, e agir de forma que não praticaria em sobriedade. Este preconceito leva a outro grande desafio na recuperação do dependente: a vergonha de buscar ajuda. pois muitos dependentes químicos não têm coragem de pedir ajuda de um profissional, ou sequer de comentar sobre o assunto com uma pessoa próxima que poderia ajudá-lo, e acaba se afastando de todos ou sendo afastado pela sociedade. A internação apesar de poder ocorrer sem  o consentimento do dependente, mostra dificuldades ainda maiores quando é feito contra á vontade do dependente.

Outro grande empecilho para a recuperação do individuo é a dificuldade financeira, já que o mesmo depende de um local adequado com profissionais que auxiliem no tratamento e diminua assim as chances de retornar ao vício. O problema é que as internações são em sua grande parte pagas, e demandam uma despesa elevada  com internação,medicamentos e etc.

No entanto, existem casas de recuperação gratuitas que recebem auxílio do governo, mas é necessário de declarações econômicas que comprovem que o dependente não possui condições de pagar por tratamento. E felizmente existe também pessoas que se dedicam voluntariamente  a auxiliar na causa, amparando e apoiando dependentes que querem se recuperar. No RN temos um belo exemplo de como o trabalho voluntário pode ajudar as pessoas nessa caminhada. Conheça mais aqui na nossa galeria de grupos e ações sociais.

DEPENDÊNCIA QUIMICA

 Ao menos 28 milhões de pessoas no Brasil têm algum familiar que é dependente químico, de acordo com o Levantamento Nacional de Famílias dos Dependentes Químicos, feito pela Universidade Federal de São Paulo.(Unifesp) A dependência química é tida pela OMS como doença crônica que comumente atinge indivíduos que fazem o uso constante de determinadas drogas.

 As substancias usadas tendem a causar um desequilíbrio no metabolismo químico do organismo, levando a dependência química da droga. O portador desse tipo de distúrbio não consegue conter o vício, o que acaba por afetar a sua vida psíquica, emocional, física e consequentemente, a vida social. 

 

 Esta é uma questão que merece muita atenção, orientação e apoio tanto para o dependente quanto para a sua família, que muitas vezes adoece emocionalmente junto ao indivíduo. 

Além disto, é importante lembrar que esta questão  passa a ser também importante para a sociedade e seus governantes porque a dependência química impacta diretamente no índice de desemprego, de pessoas em situação de rua, na violência e até nas taxas de óbito.

O caminho para a recuperação envolve grandes desafios. Observa-se que mesmo que a internet  hoje possibilite vastas informações sobre a dependência química e como ela acontece, o tema ainda é motivo de preconceito entre a população.

É comum perceber que algumas pessoas tratam o tema com uma visão distorcida, onde associam o vício a uma má índole. Mas, o que poucos sabem é que o vício é uma doença que leva o indivíduo a ter um desvio comportamental, e agir de forma que não praticaria em sobriedade.

 

Este preconceito leva a outro grande desafio na recuperação do dependente: a vergonha de buscar ajuda. Muitos dependentes químicos não têm coragem de pedir ajuda de um profissional, ou sequer de comentar sobre o assunto com uma pessoa próxima que poderia ajudá-lo, e acaba se afastando de todos ou sendo afastado pela sociedade.

 

A internação apesar de poder ocorrer sem  o consentimento do dependente, mostra dificuldades ainda maiores quando é feito contra á vontade do dependente.

Outro grande empecilho para a recuperação do individuo é a dificuldade financeira, já que o mesmo depende de um local adequado com profissionais que auxiliem no tratamento e diminua assim as chances de retornar ao vício. O problema é que as internações são em sua grande parte pagas, e demandam uma despesa elevada  com internação, medicamentos e etc.

No entanto, existem casas de recuperação gratuitas que recebem auxílio do governo, mas é necessário de declarações econômicas que comprovem que o dependente não possui condições de pagar por tratamento.

 

 E felizmente existe também pessoas que se dedicam voluntariamente  a auxiliar na causa, amparando e apoiando dependentes que querem se recuperar. No RN temos um belo exemplo de como o trabalho voluntário pode ajudar as pessoas nessa caminhada. Conheça mais aqui na nossa galeria de grupos e ações sociais.

IDOSOS

 De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), idoso é todo indivíduo com 60 anos ou mais. O Brasil tem mais de 28 milhões de pessoas nessa faixa etária, número que representa 13% da população do país.

As mais recentes pesquisas sobre a situação dos idosos no Brasil (realizada em 2020) mostra que ao mesmo tempo que direitos foram adquiridos e leis implementadas no decorrer dos anos ,retrocessos também se mostram presentes no cumprimento desses direitos. Além de abandono, maus tratos e violência, as questões de saúde ( física e mental) merecem também mais o cuidado e atenção tendo em vista a situação atual do mundo frente à pandemia que enfrentamos, onde os idoso estão no topo da lista dos mais afetados e fragilizados com a situação.

 

 Tendo em vista os dados do IBGE, que apontam que em 2050 o Brasil terá triplicado o seu numero de idosos, cresce também a necessidade de garantir um envelhecimento digno, com conforto, segurança e acesso à saúde e lazer, e o cumprimento de leis que garantem os direitos e benefícios aos idosos.

"Os políticos – e todos nós – devem acompanhar as consequências econômicas e sociais de uma população mais envelhecida, principalmente quanto a medidas para educação ao longo da vida, mercado de trabalho, sistema de saúde, previdência social e na mobilidade urbana."

( fonte: politize.com.br )

 

 Diante disto, algumas pessoas se dedicam em buscar colaborar com um envelhecimento mais digno aos nossos idosos, em especial aos que se encontram em situação de vulnerabilidade social (os mais atingidos pela falta de acesso ao lazer, saúde e alimentação).

Em Natal existem instituições privadas e ONGs que abrigam idosos, e onde voluntários colaboram com doações e visitas, buscando levar companhia, lazer e entretenimento. Além disso, alguns grupos e instituições religiosas de Natal também atendem a população idosa de bairros e comunidades, buscando oferecer auxilio e condições mais dignas. 

 

Se você se sentir tocado por esta causa, busque algum grupo ou instituição e colabore com o que você puder. No caso dos idosos em especifico, a sua presença levando também o amor, companhia e conforto é muito importante!

*Fontes: www.saude.abril.com.br, censo2021.ibge.gov.br,  politize.com.br

SUICIDIO / DEPRESSÃO

 A OMS afirma que “a prevenção ao suicídio continua sendo um desafio universal.”

Todos os anos, o suicídio aparece entre as 20 principais causas de morte no globo entre pessoas de todas as idades. O Brasil ocupa o oitavo lugar entre os países ,onde cerca de 32 pessoas tiram a vida por dia, uma a cada 45 minutos) fonte OMS.

 O Rio Grande do Norte registrou um aumento de quase 10% nos casos de suicídio de janeiro a agosto de 2020 na comparação com o mesmo período do ano passado.

Apesar da depressão ser reconhecida como “mal do século”, e comumente associada ao problema, o Conselho regional de Psicologia -RN  alerta que os fatores que levam ao suicídio vão além da questão psíquica dos indivíduos,  e dependem também de fatores externos e das condições em que vive, tal como o clima de incertezas gerados pelo atual momento da pandemia.

Pessoas que tiram a própria vida representam um grupo heterogêneo, com influências únicas, complexas e de várias facetas.

Essas diferenças representam desafios para os especialistas em prevenção, que sugerem uma abordagem em vários níveis. 

 De acordo com a OMS, esta é uma questão de saúde pública complexa, mas  que pode ser prevenida com intervenções  de baixo custo. 

Todos podem colaborar ,se informando mais sobre o tema, e sinais de alerta, quebrando preconceitos, conversando abertamente sobre o tema, e demonstrando compaixão e apoio.

 Em Natal, voluntários realizam esporadicamente ações nas campanhas do Setembro Amarelo ( mês de prevenção ao suicídio), e durante todo o  ano, como o brilhante exemplo dos voluntários que se revezam na Ponte Newton Navarro, acolhendo e salvando pessoas da tentativa do suicido.

Se você se sente tocado pelo tema, procure os grupos e ajude !

 Você também pode e deve se informar sobre causa, ajudando a desmistificar tabus e alertando sobre os sinais. Eles podem salvar uma vida!

Fontes: agorarn.com.br, Organização Mundial de Saúde, ONU.


 

A IMPORTÂNCIA DA LEITURA PARA CRIAÇAS

 Não podemos negar: os livros são fundamentais para fortalecer o aprendizado das crianças. Afinal, é por meio da leitura que a imaginação é incentivada, ao mesmo tempo em que a criatividade e a gestão das emoções são potencializadas.

 Por meio de personagens inovadores e histórias cativantes, as crianças relacionam as tramas dos protagonistas com a própria realidade e conseguem, a partir daí, reconhecer comportamentos e atitudes saudáveis e não saudáveis.

 É por isso que existe uma relação direta entre literatura infantil e Inteligência Emocional. 

  Portanto é mais que comprovado que livros são essenciais para o fortalecimento da criatividade e da imaginação, além de auxiliar na formação de cidadãos ativos na organização de uma sociedade mais consciente e crítica. Cabe aos adultos incentivarem as crianças o habito de ler livros desde pequenos. Ouvir histórias, olhar as imagens e  poder aprender com suas informações. 

  Porém, infelizmente nem todos as crianças tem acesso aos livros, ou sequer á alfabetização. A falta de acesso, de recursos, incentivos e investimentos nesse setor são algumas das questões da realidade brasileira. Outro ponto importante são as bibliotecas. A pesquisa Retratos da Leitura no Brasil  publicada em 2020 (uma das mais completas sobre o tema) também traz dados sobre estas. De acordo com a pesquisa, apenas 17% da população brasileira frequenta bibliotecas (escolares ou públicas).

 A mesma pesquisa aponta que além do fato de precisar primeiramente TER uma biblioteca na sua comunidade, outro fator que foi relevante para existir uma maior frequência  de pessoas às bibliotecas é que esta além de livros, pudessem oferecessem atividades culturais como contação de historias, oficinas e outras atividades, aumentando assim o interesse e a frequência das pessoas.

 Pensando justamente nisso tudo, existem pessoas que criam lindos projetos sociais, levando os livros e todas essas interações para comunidades que não tem acesso á esse universo, abrindo assim um novo  mundo de possibilidades ,encantamento ,aprendizado e lazer para as crianças de nosso país.

Conheça AQUI em nosso site na galeria de fotos e grupos, um lindo projeto social no RN voltado para esta importante causa.

ALEITAMENTO MATERNO

  O leite humano é o único alimento capaz de oferecer todos os nutrientes na quantidade exata que a criança precisa.

Ele garante o melhor crescimento e desenvolvimento, não existindo nenhum outro alimento capaz de substituí-lo plenamente e de forma tão segura e ecológica.

Ele é tão poderoso,que muda de composição, sabor e volume durante todo o período de amamentação,(inclusive do começo para o final da mamada e da manhã para a noite), fornecendo proteção contra doenças alérgicas e infecciosas. Não é a toa então que a Organização Mundial da Saúde (OMS) e a UNICEF (Fundo das Nações Unidas para a Infância) recomendam manter o aleitamento materno exclusivo até o 6º mês e, após a introdução de outros alimentos, até os 2 anos ou mais.

Porém, sabemos que apesar de todas esses benefícios,infelizmente muitas mães não conseguem amamentar seus filhos por inúmeros fatores,como por exemplo no caso das crianças que estão internadas e não podem ser alimentadas pela própria mãe.

Por isso, a doação do leite materno é tão importante: ele salva vidas!

No Brasil, cerca de 330 mil crianças nascidas a cada ano são prematuras ou têm baixo peso e precisam da doação de leite materno para sobreviver. O número representa 11% do total de crianças nascidas no país, média de 3 milhões por ano. Com ele, a criança se desenvolve com saúde, tem mais chances de recuperação e fica protegida de infecções, diarreias e alergias.

 

A boa noticia é que  toda mulher que amamenta é uma possível doadora de leite humano. Para doar, basta ser saudável e não tomar nenhum medicamento que interfira na amamentação.

Qualquer quantidade de leite pode ajudar. (Para se ter uma ideia, 1 ml de leite já é suficiente para nutrir um recém-nascido a cada refeição, dependendo do peso e 1 litro de leite materno doado pode alimentar até 10 recém-nascidos por dia! Porém o pote não precisa estar cheio para ser levado ao Banco de Leite Humano,toda quantia é válida e ajuda a salvar vidas!)

*** PARA SABER TUDO SOBRE COMO DOAR LEITE,CLIQUE AQUI

©Ana China 2021 - fotografia  |  projetoempatia

Todos os direitos reservados. Copyright anachinaphotography. Todas as imagens deste site são protegidas pelo Art. 7; inc. VII da Lei 9610/98 de direitos autorais. Nenhuma foto pode ser reproduzida sem autorização prévia.